Home » Notícias » PODEROSAS: Caixa dos Advogados participa da Conferência da Mulher Advogada da OAB/DF

PODEROSAS: Caixa dos Advogados participa da Conferência da Mulher Advogada da OAB/DF

As advogadas saíram do estande da CAA/DF ainda mais bonitas

A Caixa dos Advogados montou um espaço da beleza e saúde na I Conferência da Mulher Advogada da OAB/DF “Elas sabem o que falam”, na sexta (17).

Foram mais de 100 atendimentos. A CAA/DF ofereceu vários serviços para destacar a beleza das advogadas do Distrito Federal, como maquiagem, cabeleireira, manicure. E para cuidar da saúde, elas puderam aferir a pressão arterial, fazer teste de glicemia e até se consultarem com a médica da Caixa, Dra. Waleska Pires, especialista em Medicina Ortomolecular e em Ciências da Fisiologia Humana.

Luciana Batista Munhoz, advogada, utilizou o serviço de manicure. Ela afirma que esse cuidado é essencial. “Acredito que a beleza é a forma de empoderamento da mulher, que a partir do momento se sente bem consigo mesma. Quando temos essa oportunidade, com certeza conseguimos trabalhar melhor e as ideias fluem com mais facilidade. Não é só o fato de cuidar da beleza em si, é saber que estamos em busca da qualidade de vida e saúde”, diz.

A advogada Albaniza Pimentel, enquanto fazia escova no cabelo, listou os diversos serviços que já utiliza na sede da Caixa dos Advogados. “Hoje, durante a conferência, nós advogadas estamos nos sentindo ainda mais maravilhosas. Sempre vou ao cabeleireiro, manicure, faço fisioterapia e a equipe é ótima. A Caixa dos Advogados está de parabéns”, declara.

A advogada Tatiana Costa disse que é uma grande oportunidade para as advogadas. “É um espaço em que podemos descansar, desopilar, cuidar um pouco da gente, já que temos uma vida bastante corrida. Além disso, a interação é muito legal, reencontrei colegas da faculdade, fiquei muito feliz”, declara.

Elaine Rockenbach, secretaria geral adjunta da subseção de Samambaia, foi debatedora no painel “Advocacia nas Cidades Satélites”, e aproveitou também o espaço da Caixa. “Acabo de fazer escova no cabelo e uma massagem maravilhosa. O serviço da Caixa dos Advogados tem sido excelente, por visitar as subseções e oferecer atividades e serviços extremamente atrativos. Hoje, fiquei sabendo que temos ainda mais oportunidades, uma delas é a possibilidade fazer o agendamento pelo site”, salienta.

O presidente da Caixa dos Advogados e da Concad (Coordenação Nacional das Caixas de Assistência do Advogado), Ricardo Peres, esteve presente e conversou muito com as advogadas que recebiam os serviços. Segundo ele, essas são atividades já realizadas durante todo o ano, mas, no Mês das Mulheres, esta atenção é intensificada. “Estamos comemorando muito durante esse mês e tivemos, nessa conferência, a oportunidade de divulgar mais o nosso trabalho, conversei com as advogadas e como sempre, temos um feedback positivo sobre os serviços da Caixa”, completa.

A primeira edição da Conferência da Mulher teve 18 painéis temáticos, com 90 palestrantes mulheres. Entre elas, a secretária geral adjunta da CAA/DF, Clarisse Dinelly Ferreira Feijão, que debateu o tema “A chegada dos ENTA – A melhor idade mesmo!”. Segundo ela, a conferência é um marco na história das advogadas do Distrito Federal. “Não temos aqui nesse evento só palestras, só debates. Hoje mesmo, vamos apresentar propostas para que a mulher não tenha mais dificuldades no mercado de trabalho. Nós da Caixa dos Advogados cumprimos a nossa missão de oferecer a qualidade de vida às advogadas e aos advogados. Com isso, sabemos que trabalhamos pela igualdade”, conclui.

Ao final do Painel, a Caixa dos Advogados entregou uma linda e sofisticada caneta personalizada   “Mulher Advogada, Caixa dos Advogados e OAB/DF”, a cada participante e contou com a entrega de alfajor personalizado, produzido pelo parceiro e conveniado Aguimar Ferreira Bombons Finos.

Na cerimônia de encerramento, no auditório térreo da sede da seccional, foi lida a Carta de Brasília, a qual resume todos os painéis apresentados e leva a público as conclusões da Conferência e os objetivos traçados pelas participantes do evento, como os pedidos de efetivação da equidade de gênero, respeito à diversidade e eliminação de todas as formas de discriminação e violência.

O evento foi uma organização da Comissão da Mulher Advogada da OAB/DF e contou com o apoio da Caixa dos Advogados e da ESA/DF.

Confira a carta na íntegra:

CARTA DE BRASÍLIA

Nós, participantes da I Conferência Distrital da Mulher Advogada da Seccional do Distrito Federal, reunidas em Brasília, no dia 17 de março de 2017, considerando a função institucional da Ordem dos Advogados do Brasil na luta pela efetivação da equidade de gênero, respeito à diversidade, eliminação de todas as formas de discriminação e violência, bem como promover a igualdade entre homens e mulheres, reafirmando o papel essencial das mulheres advogadas na concretização do Estado Democrático de Direito, propomos as seguintes ações:

1 – Que a OAB/DF promova debates sobre a equiparação sugerida na Proposta de Reforma Previdenciária (PEC 287/2016), pois esta só poderá ser concretizada após a adoção de políticas públicas voltadas especificamente para eliminar as desigualdades vivenciadas pelas mulheres no mercado de trabalho.

2 – Que a OAB estimule cada vez mais a busca de uma abordagem multidisciplinar para lidar com as questões do direito das famílias, apoiando, inclusive e constantemente, os métodos adequados de solução de conflito. Sempre com consciência do relevante papel dos advogados e das advogadas em contribuir na harmonização das relações sociais e paz social.

3 – Que a OAB/DF participe, ativamente, para a elaboração de política pública para o Sistema Prisional Feminino, uma vez que o Cárcere da mulher possui necessidades diversas e específicas, precisa dialogar com a política da infância e deve se adequar a Lei de Execução Penal à realidade da presa mulher.

4- Que a OAB/DF acompanhe os projetos de lei relacionados ao enfrentamento da violência contra as mulheres que tramitam no Congresso Nacional, além de promover o combate a todo tipo de violência de gênero, bem como promover o conhecimento do caráter multidisciplinar da Lei Maria da Penha, pugnando pela sua efetiva implementação junto à rede de enfrentamento a violência contra a mulher, especialmente com a Advocacia;

5 – Que a OAB/DF intervenha junto aos gabinetes dos Ministros dos Tribunais Superiores para que exista, em cumprimento ao princípio da cooperação processual, inaugurada pelo Novo Código de Processo Civil, no sentido de permitir o acesso dos advogados aos gabinetes, a qualquer tempo, despachar seus memoriais e teses junto aos Ministros.

6 – Que a OAB/DF amplie as atividades do Escritório Modelo, bem como amplie o convênio existente com Contadores, com o objetivo de prestar assessoramento na criação da sociedade unipessoal; promover ações para conscientizar os escritórios quanto à importância da mediação extrajudicial;

7 – Que a OAB/DF e suas Subseções, desenvolvam e efetivem projetos de capacitação e difusão, junto à rede de ensino, órgãos governamentais e comunidade, visando extinguir o preconceito em razão de raça, credo, liberdade sexual e de gênero.

8 – Que a OAB/DF amplie convênios com instituições de ensino, para oferecer aos advogados cursos de mestrado e doutorado; promova parcerias com empresas de Coaching e gerenciamento de carreira. Além de otimizar a freqüência de Networking entre escritórios de advocacia e aos advogados interessados na inserção no mercado de trabalho e promova cursos para advogados também na área de conhecimento em infraestrutura e gestão.

9 – Que a OAB/DF proponha debates sobre a violência obstétrica em suas formas estrutural, institucional e simbólica. Proponha medidas que possibilitem sua extinção. Recomenda-se ainda que sejam promovidas ações de conscientização dos direitos dos pacientes com câncer.

10 – Que a OAB/DF posicione-se de forma a reafirmar seu compromisso com a igualdade de gênero, combatendo a baixa representatividade da mulher na cúpula dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Adotando medidas propositivas e efetivas de forma a assegurar a paridade de gênero em todos os espaços de poder, inclusive no âmbito da Ordem dos Advogados do Brasil, mediante maior participação de gênero nos cargos de Diretoria dos Conselhos Federal e Seccional.

11 – Que a OAB/DF promova ações no sentido de conscientizar a sociedade, bem como as empresas de seguro, de que a mulher vítima de violência doméstica deve ser beneficiária dessas indenizações e que sejam objeto de ressarcimento contra o agressor.

12 – Que a OAB/DF promova ações no sentido de estimular o crescimento do número de mulheres nos cargos de chefia nos órgãos públicos.

13 – Que a OAB/DF incentive debates sobre o tema da discriminação do aborto.

14 – Que a OAB/DF promova ações pelo reconhecimento do trabalho das mulheres no campo e na cidade, no trabalho reprodutivo, doméstico e sexual; debata as reformas trabalhista e da previdência e seus reflexos na a política de proteção social das trabalhadoras e dos trabalhadores;

15 – Que a OAB/DF promova ações que deem maior celeridade na apuração às violações de prerrogativas e medidas cabíveis aos órgãos competentes estimulando a aplicação e o respeito pelas prerrogativas das advogadas grávidas e garantir seu devido cumprimento bem como debater a criminalização das prerrogativas.

16 – Que a OAB/DF conhecendo as peculiaridades nas cidades satélites promova ações no sentido de combater o aviltamento dos honorários bem como a captação de clientela.

17- Que a OAB/DF promova debates sobre a desigualdade e o racismo fomentando políticas que permitam o protagonismo da mulher advogada e medidas inclusivas de gênero.

18- Que a OAB/DF promova a conscientização da importância mulher advogada e conclame os advogados homens a abraçar a luta pelas propostas da carta de Brasília.

Ascom – CAA/DF